Há quem diga que o Brasil é um país de endividados, mas preferimos os que dizem que “só tem patrimônio quem se arrisca a ter dívidas”. Trabalhar com o endividamento de forma inteligente e aproveitar ao máximo as linhas de crédito disponíveis, é o que diferencia o bom do mau endividado. Veremos abaixo alguns casos onde vale a pena renegociar a dívida ou pagar uma dívida usando o crédito consignado.

Quando falamos em “endividamento” não estamos citando as dívidas atrasadas, mas sim todo tipo de conta a pagar. E quem não tem contas a pagar? Contas como energia, água, telefone, IPTU, IPVA, escola das crianças, uma compra a prazo, fatura do cartão de crédito, boleto do carro, e assim por diante, tudo isso faz parte do seu “endividamento”. Algumas dessas contas são perigosas, porque apresentam juros altíssimos, enquanto outras são recorrentes e já fazem parte da “perda mensal”.

Na maioria dos casos, o empréstimo consignado tem as melhores taxas de juros do mercado, sendo vantajoso recorrer a esse tipo de empréstimo quando não é possível quitar uma conta perigosa. A garantia do débito automático da parcela, faz com que seja difícil um empréstimo pessoal conseguir melhores taxas, exceto quando é empenhado um imóvel ou algo muito valioso. Se você é aposentado, pensionista ou servidor público, deve sempre considerar seu crédito consignado antes de iniciar um financiamento ou comprar algo a prazo.

Ter dívidas é normal, o ruim é não procurar constantemente maneiras de melhora-las.

Apesar de que nem todos consideram o limite do cheque especial e o cartão de crédito como um empréstimo, quando não é possível pagar essas contas em dia logo percebemos que esses são os juros mais altos entre os tipos de empréstimo pessoal. Os juros do cartão de crédito e do limite podem ultrapassar 15% ao mês e para evitar que essa dívida cresça de modo incontrolável, é importante dar alta prioridade para este pagamento ou entrar negociar um novo empréstimo para financiar a dívida, ou seja, uma renegociação.

Sem dúvida alguma, negociar dívidas exige tempo, empenho e boa vontade de ambos os lados, no entanto, o banco para o qual você está devendo nem sempre terá a boa vontade de te oferecer uma boa condição de refinanciamento. Portanto, usar seu tempo para se empenhar em encontrar melhores taxas evitar um arrependimento futuro, e o crédito consignado pode ser a alternativa para um dinheiro rápido e com baixas taxas de juros.

Na hora de trocar uma dívida perigosa por uma menores juros, consulte seu agente de crédito, ele é uma pessoa com experiência que pode simular propostas usando sua margem consignável para quitar suas dívidas.

Vale a pena emprestar dinheiro para quitar dívidas?

Vale a pena fazer um empréstimo para quitar outro empréstimo ou dívida anterior sempre que, ao somar todos os juros da dívida atual e do novo empréstimo, o total de juros atual for maior que o total de juros do novo empréstimo. Aposentados, pensionistas, servidores públicos e militares geralmente terão melhores condições no empréstimo consignado, podendo realizar essa troca de uma dívida perigosa por uma mais barata.

Além de emprestar dinheiro para quitar dívidas vencidas, deve-se ficar atento também nas oportunidades para quitar financiamentos de longa duração. Isso porque ao negociar a quitação de dívidas com prazos longos, o credor deve zerar os juros futuros, fazendo o valor à vista cair. Sempre que os juros futuros forem maiores do que os juros do novo empréstimo ou quando o prazo de pagamento reduz a parcela, de forma a ficar mais confortável no orçamento, vale a pena fazer a troca da dívida.

Em 2020, o prazo do consignado INSS foi alterado de 72 meses para 84 meses (7 anos). O prazo é válido para novos contratos, mas está disponível também para refinanciamentos vigentes. Consulte seu agente de crédito para uma proposta formal, se você ainda não tem um, solicite o contato de alguém perto de você.